História

Os primeiros movimentos de criação da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes tiveram início em 1929, quando médicos da cidade de Montes Claros se sensibilizaram com a precária situação da saúde da população norte-mineira.

Idealizador da ideia, Mário Ribeiro da Silveira buscou apoio para a concretização deste objetivo, como a SUDENE; Prefeitura de Montes Claros, as Prefeituras de municípios vizinhos, a Igreja Católica e a iniciativa privada.

A participação da classe médica e das autoridades locais e regionais na busca de recursos tornou real a criação da Faculdade de Medicina em Montes Claros.

Em 1º de abril de 1969, a FAMED deu início às suas atividades com aula inaugural. A Faculdade de Medicina do Norte de Minas foi reconhecida pelo Conselho Federal de Educação em 24 de janeiro de 1975.

As articulações para a criação de um hospital universitário começaram em 1988, quando a direção da então Faculdade de Medicina – FAMED e a administração da Fundação Norte Mineira de Ensino Superior – FUNM articulavam a possibilidade desta instituição para prestar serviço de atendimento à saúde à população de Montes Claros.

Em 1990, aconteceu a transferência do Hospital Clemente de Faria, da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais, para a FUNM, através de convênio assinado pelo então Secretário de Estado da Saúde, Roberval Junqueira Franco, representando o Governador Newton Cardoso, que  transformava o referido hospital em hospital-escola para o aperfeiçoamento dos alunos da Faculdade de Medicina de Montes Claros.

O nível de ensino da instituição se baseava no estudo dos temas considerados mais importantes, como a prevenção e o tratamento das doenças regionais, além de uma iniciação precoce pelos estudantes da prática ambulatorial e hospitalar.